quinta-feira, 20 de agosto de 2009

MUITO ALÉM DA PROPAGANDA

Não concordo com o velho ditado pupular "a propaganda é a alma do negócio". Na minha opinião, a propaganda é, no máximo, o coração da organização. Através dela a empresa bombeia a mensagem desejada ao conhecimento da sociedade, atraindo a atenção do seu público consumidor.

Se a propaganda fosse a alma da negócio, não seria mais necessário nenhum tipo de excelência em atendimento, qualidade de produto ou inteligência competitiva. Bastaria criar um criativo e atrativo comercial de televisão e pronto: sucesso!

Um bom exemplo do que estou dizendo são os bancos. Basta perguntar a qualquer brasileiro o que ele pensa de um banco e você certamente ouvirá opiniões semelhantes: gananciosos, impiedosos e aproveitadores, porém, necessários. Por mais que tentem passar a imagem de empresas comprometidas com o planeta, com a sociedade e com o uso consciente do seu crédito, as instituições bancárias não conseguem "limpar sua barra" com a opinião pública nacional.

O Itaú é um pai pra você, praticamente um Nardoni.

O novo comercial do Itaú, por exemplo, tenta me dizer que eu tenho crédito aprovado e que poderei quitá-lo a longo prazo, da forma que eu achar melhor, como se ele fosse um pai pra mim, mas o máximo que eu consigo ouvir é blá blá blá. Lembram quando a professora do Snoopy falava? Então, mais ou menos assim.

Se uma empresa não tem atendimento de qualidade, diferencial e não oferece vantagem ao consumidor, esqueça, não há Papa da propaganda que a transforme em uma empresa competitiva, a não ser que ela faça parte de um seleto grupo de empresas bilhonárias e que praticam o oligopólio.

7 comentários:

Daniel Rangel disse...

A propaganda é uma ferramenta, um atributo de imensa importância do composto estratégico de uma organização... Se sozinha, ela é apenas um elemento plástico, contendo uma mensagem inútil e portanto, de efito insosso, inócuo!

Daniel Rangel disse...

A propaganda é uma ferramenta, um atributo de imensa importância do composto estratégico de uma organização... Se sozinha, ela é apenas um elemento plástico, contendo uma mensagem inútil e portanto, de efito insosso, inócuo!

Daniel Rangel disse...

A propaganda é uma ferramenta, um atributo de imensa importância do composto estratégico de uma organização... Se sozinha, ela é apenas um elemento plástico, contendo uma mensagem inútil e portanto, de efito insosso, inócuo!

Cele disse...

1) sem contar que o crédito aprovado geralmente é de um valor que não dá pra nada, pq eles não arriscariam seus pequenos cofres com o bando de zé ruelas dos seus clientes!
Se fossem clientes "de nome", estariam no outro Itaú, aquele prateadinho que fica do outro lado da rua, cujo nome eu já esqueci. Ah! "Personalité!"

2)hahaha na minha versão da piada, o menino "saiu da sala e nunca mais comeu macarrão"

bjobjo!

Cele (ops!) disse...

PS: vc não precisa colocar o seu email lá nos comments

Fernando Luz disse...

Fala Anselmo!

É verdade, propaganda é apenas um dos 'P's que fazem o negócio andar.

E qualquer empresa que não entender isso, por mais dura que seja a realidade, está fadada ao fracasso.

Bem legal seu blog.

Abçss

Giovana Damaceno disse...

hahahaha! lembrei do Conmedh, quando nos obrigava - funcionários do marketing - a criar uma MÁGICA pra salvar a empresa do buraco, sem ter que despender milhares de rais para colocar o pagamento dos médicos em dia. propaganda não faz MILAGRE, né?