sexta-feira, 12 de setembro de 2008

INJUSTIÇA

Quantas vezes não ouvimos ou nos deparamos com situações que envolvam essa palavra em nosso dia-a-dia? A vida não é justa grande parte das vezes, o mundo está cheio de pessoas e situações injustas.

Pessoas que precisam e não têm, outras que têm e não dão valor, tantas outras que fazem por onde e nunca são recompensadas. A vida é tão injusta que já nos habituamos à ela, ficamos indiferentes com as injustiças que ouvimos todos os dias nos jornais e nas ruas. Mas aí, a injustiça chega até você e atinge alguém de quem você gosta e só então você se dá conta de que também está vulnerável à ela.

A injustiça dói. Dói fisicamente. Dói emocionalmente também. Dói mais ainda quando não há nada que se possa fazer a não ser ajoelhar e pedir à Deus que a injustiça se torne justiça. Aí então, quando a justiça é feita, e será, a dor vai embora, dando lugar à alegria, mas a sensação de ter vivido algo extremamente doloroso e que não mereceu não vai embora jamais. Essa fica marcada como gado, não na pele, mas na alma.

3 comentários:

Felipe Cruz disse...

O Título do seu blog me lembrou uma musica do Jay Vaquer.

coelhão disse...

hum... cicatrizes, mesmo que nada signifiquem a quem não as possui, servem como um super lembrete a seus donos. Algo como "não patine sem joelheiras", "não trepe na cerca de arame farpado", "não enfie a mão na boca do cachorro... de novo." Marcas nos tornam únicos, diferentes, vão formando quem somos a vida toda. Esquecê-las tornaria o seu surgimento totalmente inútil. Tire uma lição disso, quer seja ao tomar a frente da situação e "salvar o dia", ou ao decidir jamais agir da forma que outros agiram. Bola pra frente! Bjo bjo

Clara disse...

uia!!!

Seja bem vindo à blogsfera, conterrâneo!!! (sempre me empolgo, pq conheço poucos blogueiros de VR)

bjs meus, boa semana pra ti!