segunda-feira, 27 de abril de 2009

MEDO DE MOTOQUEIROS

Ultimamente tenho tido muito nervoso quando estou dirigindo e percebo a presença de um motoqueiro na traseira do meu carro. Se tiver mais de um então não relaxo enquanto não os vejo se afastando. Passo mais tempo olhando pelo retrovisor do que para frente.

Não que eu more numa cidade violenta ou que já tenha sofrido algum trauma no trânsito, mas é que eu me sinto muito vulnerável preso dentro de um carro enquanto um motoqueiro pode chegar tranquilamente perto da minha janela e me apontar uma arma ou até mesmo colocar a mão dentro do carro e pegar alguma coisa.

Pouco antes de escrever esse post fui a um bairro de periferia buscar minha mãe e tive a companhia de um motoqueiro boa parte da subida. Que nervoso! Pode ser preconceito, mas o local e o fato de já estar escuro só pioraram a situação.

Se isso é o início de uma síndrome do pânico eu não sei, acredito que não, deve ser só mais uma neura de quem vive no violento século XXI e vê nos telejornais todos os dias relatos de violência cada vez mais brutais e por motivos tão banais. Agora há pouco mesmo vi uma notícia no jornal de dois motoqueiros que dispararam cinco vezes contra o carro de um radialista na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro.

O jeito é continuar andando com os vidros sempre fechados e diminuir a velocidade sempre que um motoqueiro grudar na minha traseira, afinal, é sempre melhor prevenir do que virar mais um na triste estatística da violência.

2 comentários:

Kérow More Ice disse...

é como diz aquela música:

"TOC nasce torto, nunca se endireita..."

cintia sibucs disse...

...pior é estar na garupa de uma moto e do nada um carro te fechar ou te cortar inesperadamente.
putz!